ferias de verão com mamãe parte 5



Click to this video!

Minha mãe se calou nesse momento, foi a cozinha e trouxe um copo de água na mão, bebeu um gole e me disse:

– Só de ver minha reação você já deveria saber que opino como uma mulher, e não como mãe! Tive que ir tomar um gole de água porque fiquei com a garganta seca, sem fala, tira daí as tuas conclusões!

– Mas mãe, disse eu, assim não dá, voce não me responde!

– Mas o que você está esperando? Que adoro essa pica e que gostaria de tê-la só para mim? É isso que espera ouvir? Sinto muito, filho, mas sou sua mãe e você não vai me ouvir dizer isso.

Ela então ficou calada e só consegui dizer um tímido “ok, mãe, não fique chateada!”

– Filho, não estou chateada contigo, só que você é meu filho e eu não posso dizer certas coisas, mesmo que você queira escutar… Além disso, estou com sono e vou para a cama… boa noite, querido! Ela chegou perto de mim, e me deu um beijo de boa noite, meu pau seguia duríssimo, e acabei vendo o seu decote aprisionando suas enormes tetas gostosas e tesudas, enquanto me deu o beijo.

– Boa noite, Eduardo, e esconde isso que eu já vi bem, né?

Ela se retirou e enquanto ia subiu um pouco a lingerie, ficando ainda mais ajustada a sua bunda, ficou assim o seu traseiro bem marcado pela camisola, em todo o seu esplendor, suas nádegas perfeitas aumentaram o meu tesão, e minha pica endureceu outra vez… porra, ela tá gostosa demais, pensei…

Escondi minha pica, e fui ver um pouco de televisão, depois decidi ir para a cama, com certeza ela estaria se masturbando como uma louca, mas essa noite já tinha tido bastante, pensei… Passei pela porta do seu quarto, totalmente fechada, e não escutei ruídos, assim fui para o meu quarto, estive lendo um pouco na cama, e quando apaguei a luz e comecei a adormecer, mas então comecei a escutar as molas da cama da minha mãe, agucei o ouvido e ouvi uns gemidos apagados, como se estivessem sendo abafados, sem duvida minha mãe estava se masturbando na cama, me levantei e preguei o ouvido na parede, ainda que nossos quartos não estejam pegados, alguma coisa eu escutaria, pensei eu… conseguia escutar o gostoso gemido dela, estava curtindo o momento… enquanto isso, eu comecei a bater uma punheta, pensei em sair do quarto e ficar atrás da porta do quarto dela, mas depois desisti da ideia, teria outras oportunidades como essa… Gozei como nunca, enquanto mamãe lançava um gemido afogado e dizia o meu nome entrecortado. Essa noite me dei por satisfeito, deitei e dormi como um anjo…

Na manhã seguinte acordei um pouco mais cedo que o habitual, estive fazendo coisas sem importância pela casa, mas só para me distrair do que tinha acontecido na noite anterior; estava tomando o café quando minha mãe entrou na cozinha, só de calcinha e com a mesma camisola apertada que marcava os seus seios exageradamente, fiquei olhando pra ela, e meus olhares caíram diretamente para a sua calcinha, suas pernas e sua bunda maravilhosa… Mamãe ria e dizia:

– Que foi? Nunca viu uma mulher só de calcinha não?

– Claro que sim, mas nunca tinha te visto assim só de calcinha, e ainda por cima como essas que você está vestindo… está linda, mãe! Ela começou a rir e disse:

– Menos mal, finalmente chegou o dia em que um filho elogia a mãe! Como ontem a noite eu te disse que você era bem dotado, hoje eu me levantei para que dissesse o mesmo de mim, nós somos assim…

Gostei da reação dela, e mais ainda do que eu via, já que a calcinha da minha mãe não cobria quase nada, eram transparentes, muito finas e feitas de uma cor branca sedosa…estavam bem enfiadas entre suas pernas, porque marcavam toda a sua buceta… ela tinha puxado bem pra cima, já que podia ver-se seus pelos púbicos muito bem aparados, e na bunda, tudo bem apertadinho, ela estava fazendo aquilo para me deixar maluco…

– E que diz de mim, Eduardo, pareço bonita e atrativa? Acha que estou gostosa, me dá a tua opinião como homem, já que sei que como filho vai dizer que estou linda, mas quero que me diga como homem, tenho 41 anos e quero saber se estou gostosa aos olhos de um homem de 22 anos como você!

Eu não sabia o que responder, pensei em fazer o mesmo jogo que ela fez comigo ontem a noite e responder com evasivas mas pensei melhor e respondi com total franqueza:

– Quer que te diga a verdade, mãe? Quer que eu não faça como você ontem à noite e te diga realmente o que eu penso, como homem??

Ela ficou parada na minha frente com uma xícara de café na mão, me olhando e murmurou que tinha medo de ouvir algo que não gostasse…

Depois de dizer isso, ela se agachou e abriu uma gaveta na cozinha, na parte de baixo da pia, e ao abaixar-se me ofereceu uma panorâmica da sua fantástica bunda levantada e apertada pela finíssima calcinha que não tapavam nada das suas nádegas, meu pau ficou logo duro como na noite anterior e passei a confronta-la:

– Se não quer ouvir minha opinião, entao não pergunta, tá?

Fingi estar chateado pelo que ela havia dito mas era tudo parte do meu plano. Passamos a tomar o café da manhã tranquilamente, sem olharmos um para o outro, ambos estávamos querendo falar sobre o tema outra vez, mas foi ela que não resistiu primeiro:

– Diz a verdade, Eduardo, já não aguento mais, me diz o que você acha de me ver assim, goste ou não, preciso escutar a tua opinião!

– Quer mesmo escutar minha opinião, mãe, ou é só conversa fiada?

– Filho, eu sei que me calei ontem, mas agora pode me dizer a verdade, não vou ficar chateada se você não gostar de mim como mulher, é normal, você é novo ainda…
Minha pica estava quase arrebentando de tão dura, enquanto eu tentava disfarçar a situação disse a ela:

– Mãe, vou te dizer a verdade, você é uma mulher fantástica, está gostosíssima e tem um corpo soberbo, tem uns peitos e uma bunda que podem deixar qualquer homem louco, é um corpo que convida ao pecado, e mais uma coisa, mãe, o que você viu ontem… aconteceu por sua causa!!

Minha mãe ficou parada e ficou vermelha de vergonha…

– Eduardo, o que diz, o que está dizendo, meu filho??? Minha mãe engolia saliva enquanto falava…

– Sim, fiquei com o pau duro ao ver como são as suas tetas, são tão bonitas, tão deliciosas, são uma loucura… e seu traseiro é uma maravilha também, mãe, essa é que é a verdade!

Então, Eduardo, te coloco assim duro só por ver os meus seios e minha bunda?
Exatamente como está agora?

Ela dizia isso assustada, envergonhada; então sem mais olhares me levantei e meu “enchimento” ficou livre à frente dos olhos da minha mãe.

– Meu Deus, Eduardo, como você está, não pode ser verdade que fique assim tão grande por minha causa, isso é uma loucura!!!!

– E você quer ver como ela está, mamãe??

Ela estava colorada e nervosa, observei como ela mordia o lábio inferior, sentada na cozinha, com suas enormes tetas coladas na camisa e as pernas desnudas, a calcinha tapando o mínimo de sua fabulosa anatomia, estava calada, eu também, de frente para ela, apenas com meus calções, e com minha piroca duríssima por baixo… Era como uma lança apontada para ela! Eu estava ardendo por baixo, estava quentíssimo por dentro, então ela disse:

– Mostra, filho, só uma vez e pronto!

Meu calção, tipo “boxers”, tem uma espécie de braguilha, com um botão que já não existe, então para ganhar tempo não tirei os calções, somente tive que apontar minha piroca dura para aquela abertura e meu pau saiu velozmente, cortando o ar, meus 21 centímetros de pau duro se levantaram em frente a minha mãe; minhas veias estavam ainda mais inchadas que na noite anterior, a cabeça estava brilhante e estava meia rosada, coloquei minhas mãos na base do pau e puxei contra meu corpo, assim saiu bem tesa e direita, parecia maior que nunca, minha mãe deu um grito.

– Eduardo!!!!! Filho, que barbaridade de pica que você tem, é uma maravilha, parece maior que ontem à noite, não pode ser verdade, será que estou sonhando?? É demais, Eduardo!

Mamãe não deixava de lançar elogios a minha piroca, cheguei perto dela e disse:

– Se quiser tocar, vá em frente!