Fui surpreendida pelo meu vizinho

Click to this video!

Olá! Meu nome é Layla, tenho 25 anos. Este relato que vou contar para vocês aconteceu a 6 mêses atrás.
Já fazia alguns anos que eu havia me mudado para um grande conjunto de apartamentos. O meu prédio era demasiadamente grande e populoso com dez andares, sendo que eu morava no oitavo.

O apartamento ficava em uma região ruim da cidade, meio violenta, e muitas pessoas que moravam no meu prédio tinham um caráter um tanto quando duvidoso. Por isso nunca fiz amizades e prometi para mim mesmo que assim que minha situação financeira melhorasse eu iria me mudar.
Em uma sexta feira, após um dia árduo de trabalho, eu estava me sentindo exausta. Assim que entrei no prédio apertei o botão para chamar o elevador torcendo para que ele não demorasse muito. Por sorte, isto não ocorreu, e assim que as portas do elevador se abriram um homem estava lá dentro. Ele se vestia com um casaco comprido, e não pude deixar de reparar que ele é bem alto e forte, estava com um semblante muito fechado.
– Boa tarde! – eu disse tentando ser educada, porém o homem não me respondeu nada saindo apressadamente do elevador e esbarrando em mim.
– O que há com as pessoas daqui? Maldito idiota! – pensei comigo mesmo. Mas não dei tanta importância, entrei no elevador, subi até o meu andar e chegando em casa fui diretamente para o banheiro. Naquele dia, comecei a ouvir barulhos intensos vindo do andar de cima, tentei não me aborrecer, poderia ser somente naquela noite. Coloquei meus fones de ouvido e dormi feito pedra pois estava muito cansada.
No dia seguinte, como de costume eu arrumo minha casa e passo o restante do dia na casa dos meus avós, e no domingo fico em casa descansando. Minha avó pediu para que eu fosse dormir lá, mas no domingo a casa dela enche de mais, como eu sou muito reservada, fico desinquieta em lugares cheios. Voltei para casa, tomei um banho e pedi uma pizza. Quando foi por volta de 19:00 comecei a ouvir os barulhos novamente, só que dessa vez estavam mais fortes do que a noite passada, resolvi então reclamar com o sindico. Não passou nem 30 minutos da minha reclamação e já não ouvia mais barulhos. Passando algumas horas, fui me preparar para dormir, e ouço o barulho da campainha tocar. Meu coração estremece já que não recebo visitas frequentes, muito menos uma hora daquelas. Olhei para o olho mágico da porta, e era um homem, estava de cabeça para baixo não deu para reconhecer, fiquei meio assustada mas abrir. Era ele, o homem arrogante do elevador, e muito bonito por sinal.
– Boa Noite! Meu nome é Rogério, eu moro no andar de cima. Eu queria lhe pedir desculpas pelo barulho. É que eu estou de mudanças, estou desmontando alguns móveis.
– Tudo bem, sem problemas. Digo a ele.
– É… aproveitando que eu estou aqui, será que você não tem algumas caixas pra me dar para eu terminar de embalar minhas coisas. Disse ele, olhando para dentro da minha casa.
– Eu acho que eu tenho algumas ali, mas são pequenas. Pode ser?
– Claro! Dar para guardar os talheres.
– Se quiser eu separo para você, e levo amanhã.
– É que eu estou sem sono, e gostaria de embalar tudo hoje. Se não for incomodo, é claro.
– Tabom, só um instante !
Deixei ele esperando na porta e fui para cozinha pegar algumas caixas velhas que estavam em cima do armário. Quando de repente, ouço o barulho da porta se fechando. Quando olho para trás, Rogério estava olhando para mim, de cima a baixo e dando risadinhas de canto. Comecei a ficar assustada, e disse a ele que eu iria separar as caixas e amanhã levo para ele.
– Eu espero o tempo que for, Layla. Disse ele, olhando para mim, com um olhar muito estranho.
– Eu acho melhor você ir, eu levo para você amanhã. Então eu me lembro que não tinha dito o meu nome a ele.
Ele começou a chegar perto de mim, e eu comecei a afastar.
– Quanto tempo eu esperei por esse dia, desde quando você entrou aqui, que eu não tiro os olhos de você, e você nem se quer percebeu. Disse ele colocando meus cabelos atrás da orelha.
– Por favor, acho melhor você ir embora. Eu estava muito assustada, comecei até tremer. Ele me agarrou de uma vez, e começou a me beijar com força, e eu tentando empurra-lo, mas não consegui, ele é muito forte. Ele me imprensou no armário e começou a pegar nos meus seios e apertar. Foi quando eu dei um chute nas pernas dele, e consegui sair.
– Saia da minha casa agora!! Gritei com ele, e comecei a chorar.
Como eu disse anteriormente, eu sou muito reservada, a muito tempo que eu não fico com um homem, fiquei muito assustada com essa atitude.
– Não adianta Layla, eu esperei muito por essa oportunidade não vou desperdiça-la. Eu quero você minha lindinha. Você é do jeito que eu gosto, olha esse corpinho gostoso, quero desfrutar dele. ( Eu não tinha dito antes, mas eu sou morena, cabelos longos, 1,53 m, seios fartos, cintura fina, bumbum médio e pernas grossas).
Ele então veio de uma vez me beijando, me agarrando com força, e me apertando todinha. Comecei a sentir um volume e muito duro nas minhas pernas. Ele colocou minha mão no seu membro e me pediu para apertar bem forte. Eu tentei gritar, mas ele tapou minha boca, e disse que se eu gritar eu ia ver o que ele ia fazer comigo, que eu não conhecia quem ele é. Ele começou a lamber meu pescoço e apertar meus seios, desceu a mão até minha vagina e começou a apertar por cima da calça, ele baixou o zíper de sua calça e deixou seu membro a mostra, era muito grande, ele pediu para que eu apertasse e fizesse movimentos de cima a baixo, depois disso ele enfiou sua mão dentro da minha calça e começou a me masturbar. Eu fazia de tudo para empurra-lo, mas não conseguia. Ele então me pegou por trás e me levou para quarto, me jogou na cama e eu disse chorando:
– Por favor, eu não quero isso, para!
Ele fez aquele sorrisinho de canto novamente, me pegou pela cabeça e me fez chupar seu pau, dizendo que eu tinha uma boquinha maravilhosa, e que queria me fuder de todas as formas. Ele então me deitou novamente e tirou minha calça e minha calcinha, e abriu minhas pernas com toda força e começou a me chupar. Eu tentava tirar sua cabeça, mas não conseguia, ai que ele ia mas forte, chupava meu clitóris e enfiava a língua dentro da minha buceta. Eu estava começando a me molhar com aquilo tudo, mas não queria mostrar isso a ele, não aguentei e acabei gozando. Acho que ele percebeu, porque disse:
– Gostou né?! Agora está na hora deu te fuder bem gostoso. Ele arrancou minha blusa e chupou o biquinho dos meus seios. Eu disse que era para pararmos por aqui. E ele disse que ainda nem começamos. Ele me colocou de pé, e se sentou na cama e pediu para mim sentar em cima do pau dele, eu disse que não, e ele me colocou de uma vez em cima dele, foi de uma vez que eu até gritei. Ele disse:
– Ai que delícia, vai geme para mim! Vai sentando bem gostoso, vai! Você é uma delícia Layla, porque eu não fiz isso antes? Ai !!
Eu comecei a virar os olhos, estava sentindo muito tesão ( e me odiava por isso ). Eu sentada e ele chupando meus seios, já não aguentava mais e acabei gozando, fiquei toda mole, ele tirou seu pau rapidamente e gozou na minha barriga…
Disse que foi uma delícia ter me comido, e que queria mais. Eu me senti um pouco suja depois daquilo, mas resolvi não contar isso para ninguém, até agora.