A sobrinha e o tio – parte 2



Click to this video!

Continuando… Não se falaram no dia seguinte, Aninha passou o dia em seu quarto, pensou em fugir, mas sabia q não tinha para onde ir. Ao entardecer seu tio saiu e disse que iria à cidade e que ela o esperasse de banho tomado. Ela sentiu muito medo, pensou em tudo o que havia passado, mas o obedeceu, tomou um longo banho e tentou manter-se calma.

Horas depois chega o tio com um pequeno bolo e um pacote de presente, dizendo que havia se lembrado que era o dia de seu aniversário.

Aninha, com tantas mudanças e problemas, nem havia se atentado para isso. Mas com um forçado sorriso de gratidão pegou o presente do seu tio, o qual disse que ela só poderia abri-lo depois de comer o bolo de prestígio que havia comprado. Comeram juntos e ele em tom firme ordenou que abrisse o pacote.

Ganhou de presente um pequeno vestido cor de rosa e uma pequena calcinha branca, agradeceu ao tio e disse que certamente não serviria nela. Foi quando ele se aproximou e disse próximo ao seu ouvido:

– Com certeza servirá, ficará do jeitinho que eu gosto e de hoje em diante você se vestirá com a roupa que eu quiser! Agora vai para o seu quarto, se troca, coloque uma sandália de salto e volte aqui para sala.

Obediente, voltou para sala como lhe ordenara, quando olhou para a tv viu q ele estava assistindo o mesmo filme pornô da noite anterior, mas dessa vez só usava cueca. Tentou voltar para o quarto, mas ele a viu e disse que ela faria companhia para ele enquanto assistisse. Puxou-a pelo braço e a fez sentar-se ao lado dele, disse que estava linda com aquela roupa, reparando que o decote deixava boa parte de seus seios a mostra e que cobria apenas 3 dedos após o bumbum.

Muito nervosa, Aninha ficou ali parada enquanto seu tio olhava a tv e acariciava suas coxas. A curiosidade de menina a fez fixar os olhos na tv, a ponto de não perceber que ele havia tirado o pau para fora da cueca. Foi quando ele pegou a mão dela e colocou no seu pau dizendo:

– Daqui em diante você aprenderá a ser mulher e a fazer tudo do jeito que eu gosto. Agora segura meu pau e acompanha os movimentos da minha mão. Isso mesmo garotinha…. Hummm… está começando a fica bom. Agora com as 2 mãos, faz você sozinha.

Ela ficou com a mão ali, amedrontada, segurando aquele grande e rígido pedaço de carne pulsando em suas mãos. Ele começou a acariciar seu rosto e logo sua mão baixou a alça do vestido deixando seus seios à mostra. A voz da menina excitava e quanto mais ela pedia para parar, mas ele a desejava.

Puxou sua boca ao encontro da dele, enfiou a língua na boca dela e ela sem saber o q fazer recuou, tirando o pau de suas mãos. Foi quando ele perdeu a paciência e colocando a em seu colo começou a lamber o pescoço dela a força, ela debatia seu leve e pequeno corpo, mas ele era muito mais forte. Começou a gritar dizendo que não queria fazer aquilo e ele disse para ela calar a boca senão iria apanhar.

Começou a chupar seus seios bem devagar, como se fosse sugá-lo, babava, lambia, mordiscava os mamilos enquanto ela gemia.

Cansada de se debater, ficou quieta a mercê da vontade do tio, o qual colocou-a em pé e arrancou-lhe o vestido, desvendando seu lindo e saboroso corpo com sua linda calcinha branca. Começou a beijá-la e a fez corresponder mesmo contra vontade, enquanto acariciava sua bunda e passava a mãe em sua buceta por cima da calcinha.

Sentou-se novamente no sofá, colocando-a ao seu lado, tirou a cueca e mandou que ela batesse uma punheta como havia a ensinado. Sem jeito ela iniciou os movimentos de desce e sobe, ele gemia muito e a chamava de putinha virgem do titio. Tocou novamente sua buceta por cima da calcinha, ela soltou um leve gemido misturado com medo. Colocou então a mão dentro da calcinha e começou a roçar levemente o dedo em cima da sua buceta, que estava levemente molhadinha. Percebendo isso ficou louco de tesão, arrancou-lhe a calcinha e começou a chupar sua buceta, passava a língua devagar e sem pressa enquanto tocava-lhe o clitóris.

A doce menina gemia e começou a gostar do contato da língua de um homem com sua buceta, foi quando deu início ao seu primeiro gozo e ao perceber seu tio tirou a mão da vagina e enfiou a língua pronto para beber todo seu mel enquanto tocava uma intensa punheta. Ao perceber que ia gozar, levantou e despejou seu grosso leite em cima da barriga da garota, a qual se assustou e teve nojo. Acabou de gozar e mandou-a colocar sua língua para fora, limpou seu pau nela e lhe disse:

– Sente agora o gosto do seu titio, minha Aninha, sente o gosto de um homem! Sei que você também gostou da nossa brincadeirinha. De hoje em diante brincaremos sempre que me der vontade e se você não quiser ou ameaçar contar para alguém, vou te jogar na rua! Limpa a sala que vou descansar!

Uma sensação de raiva e tesão dominou Aninha, mas sentia-se impotente diante daquele homem severo e hostil.

(continua…)