A cunhadinha já era safada



Click to this video!

Me chamo João, tinha 23 anos na época, solteiro e tarado. Meu irmão Jonas tinha 16 anos, virgem, e sua namorada Patrícia tinha 15 anos, a muito não era mais virgem. Sua namorada passava muito tempo em nossa casa. Ela ficava muito a vontade em nossa casa, shortinho e mini blusa, as vezes sem sutiã. Seus peitos chamavam muito minha atenção, sempre que podia eu dava uma olhadinha discreta. Conversava com meu irmão, que ele tinha sorte de ter uma namorada bonita, pra não dizer gostosa. Dizia pra ele comer ela direitinho para não perde-la pra outro. Ele sempre fugia do assunto, um dia junto com eles disse pra Patrícia, que quando eles brigarem eu ia ser seu novo namorado, levávamos na brincadeira. Estávamos jogando vôlei no pátio e ela torceu o pé, meu irmão não conseguiu carrega-la, tive que pegar ela nos braços e levar até um banco do jardim. Enquanto carregava, na cara de pau passeia a mão em sua coxa pra tirar uma casquinha. Ela nem me olhou, e pelo menos não se zangou. Descansamos um pouco e recomeçamos o jogo, depois de um tempo ela reclamou de novo da dor no pé, pediu para eu carrega-la novamente. Peguei ela no colo, desta vez não abusei da mão boba, olhava só para seus peitos, e ela percebeu minha olhada, ficou em silencio até chegar ao banco. Fomos para dentro de casa para ver se aliviava a dor do seu pé. Ela pediu para eu pega-la nos braços e leva-la até o quarto que ficava no piso de cima. Me pareceu que ela estava fazendo manha, novamente passeia mão na sua coxa, ela me olhou e deu um sorrisinho safadinho. Deixei eles e fui tomar um banho, no meu quarto, fui surpreendido por ela, que não bateu na porta, e me pegou ainda nu. Era a chance que eu tinha de mostrar meu pau a ela, que pediu desculpas mas olhou várias vezes antes de sair do quarto. Depois de alguns dias, brincando de correr atrás dela, agarrei ela pela cintura e colei na sua bundinha gostosa, eu larguei dela sem que ela pedisse e nem reclamou nada, fiquei na dúvida se a safadinha estava gostando. De repente ela sai correndo e diz que dúvida eu conseguir pega-la. Corri e quando estava próximo ela para de repente e pego ela por traz novamente, dou vários passos com meu pau encostado na sua bundinha, no ouvido dela, digo que ela não pode comigo, beijo seu pescocinho e digo que ela esta muito lindinha, ele já estava molinha, novamente me obrigo a soltar ela, pra ninguém ver. Depois deste dia, ela que passou a me seduzir, entrava no meu quarto sem bater, um dia esperei ela de pau duro, sabia que depois que ele tomava banho, ela vinha no meu quarto, enquanto meu irmão tomava o banho dele. Secando meu corpo, recebo ela de pau duro. Ela diz que preciso urgente de uma mulher, agarro ela por traz e beijo seu pescoço, digo que ela tem razão, preciso de alguém para baixar meu pau, desta vez beijo os dois lados do pescoço, com um certo consentimento dela. Digo que tenho uma invejinha do meu irmão. Dou um tapinha na bunda dela e mandei ela ir em bora. Tive que bater uma punheta no meu quarto. O caminho estava livre para eu avançar nela. A noite ela voltou no meu quarto, vestida pra provocar, deitei ela na cama e me avancei nos seus peitos, afastei sua blusinha e suguei os dois sem fazer nenhum a força. Agora tinha certeza que era só questão de momento certo. Quando ela ia entrar no banheiro, chamei ela, que me esperou, dei um beijo na boca e apalpei sua bunda com as duas mãos. Chamei ela de gostosa e deixei ela tomar seu banho. No domingo de manhã encontro ela fazendo o café, novamente colo na sua bundinha e massageio seus peitos por baixo da blusinha, pergunto se ela quer uma ajudinha, coloco a mão dentro da sua calcinha, que parecia pedir um pau bem duro, de tão excitada que estava. Era agora ou nunca, afastei a calcinha e fui logo colocando o pau na direção certa, ela mesma empurrou a bunda para traz, para ser penetrada, com os dedos no grelo, pau dentro dela e chupando seu pescocinho, fiz ela gozar e gozei em seguida. Ela me disse que estava louca pra trepar, mas meu irmão não chagava junto. Passei a comer ela até duas vezes por dia, quando tínhamos tempo. Comi ela direto enquanto eles estavam namorando, pena que ela deixou dele por outro cara e fiquei sem fazer ela chupar e me dar o cuzinho. Outro dia passei pelo casal e tanto eu, como ela nem nos cumprimentamos, ela ainda tava linda.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(0 Votos)
Loading...