Primeiro orgasmo com o papai



Click to this video!

Continuação de o inimigo do meu pai
Depois do ocorrido com o buiu e o davi, a gente estava em casa a noite, eu no meu quarto, davi na sala e minha mãe arrumando p sair. De repente alguém começa a esmurrar o portão, quando o davi abriu era meu pai, que já foi p cima dele e os dois começaram a brigar. Foi um barraco feio, como meu pai tinha mais corpo o davi ficou mais machucado, foi preciso a intervenção dos vizinhos p separar e o davi foi p casa de um deles.
Então meu pai começou a brigar com minha mãe que até então não sabia de nada, falou com ela o acontecido e ordenou que o davi deixasse a casa dela naquela mesma noite. A ordinária da minha mãe nem deu ideia pelo que aconteceu p irritar mais ainda meu pai disse que se isso aconteceu era porque eu era safada, que eu seduzi o davi. E assim eles continuaram discutindo (na época olhei meu pai como o super protetor), hoje penso que a raiva dele era porque isso tinha acontecido com o inimigo dele.
Depois de discutirem muito e minha mãe bater o pé que o davi não sairia de casa, meu pai então decidiu me leva p casa dele, mandou eu juntar minhas coisas que eu iria com ele. E assim eu fiz, arrumei minhas coisas e fui com ele. Mas a confusão não tinha acabado…
Quando cheguei na casa dele, sua esposa tereza teve um surto, falando que não me aceitaria, e meu pai falava que seria temporário, ela jogava na cara dele e falava que ele nunca ligou mim e queria dar um de paizão, ele tentava explicar falando que o acontecido tinham mexido com ele…mas não adiantava… até os dois filhos que ele tinha xingaram ele…. no fim de tudo acabou que a tereza e os dois filhos, juntaram suas coisas e foram p casa da mãe dela, e ó voltariam quando eu não tivesse na casa.
Meu pai era um homem bonito, alto, moreno dos olhos claros. Era dono de uma loja de celular e era bem sucedido.
Esta noite foi muito tensa, meu pai mandou eu ficar no quarto de um dos meus irmãos e colocar minhas coisas lá.
A história que chegou no ouvido do meu pai era que o davi tenha me batido e estuprado, ele não sabia que tinha sido consentido por mim. A tereza tinha saído de casa, mas como a falta da minha mãe me ensinou a ser uma dona de casa, eu fazia tudo ali. Os dias foram se passando e a gente ficava cada dia mais próximos, assistíamos tv juntos, ele me levava p cinema, clube…mas ele parecia sentir falta da tereza ( hoje eu sei que a falta dele era de sexo, nunca vi um homem que gostava de sexo tanto igual o meu pai.)
Um tempo depois a gente estava na sala sentados no sofá, eu de pijama e ele com o samba canção que ele sempre usava quando estava em casa. E ele decidiu tocar no assunto.
Pai: carol o que realmente aconteceu? O que o davi fez com você? Me conta tudo, não precisa ficar com vergonha e nem com medo, só quero saber o que realmente aconteceu.
Eu fiquei um pouco sem graça, e sem saber como começar a contar (se falava que começou na piscina ou no quarto), mas comecei da piscina mesmo.
Eu: … ai eu fui nadar….ele depois foi p piscina…. ai ele começou a passar a mão em mim…..depois chegou o buiu e entrou na piscina pelado…
Eu estava falando sem graça, falava pausadamente, mas sem perceber comecei a falar normal, e falava cada detalhe.
Eu: … ai ele apertou meu braço e mandou eu chupar ele, e eu comecei a chupar, de início eu não gostei… quando eu falei isso ele fez uma cara de confuso, ai percebi a mancada que eu dei ( de início não gostei “mas depois gostei”) e tentei encerrar a conversa logo.
Eu: ai depois disso eles tiveram relação comigo e saíram.
Mas meu pai parecia se interessar nos detalhes.
Pai: mas me fala ai, você chupou ele e depois?
Ai continuei e contei tudo, até a porra na minha cara. Depois que acabei ele só falou p eu esquecer tudo isso e levantou p ir p quarto, a questão foi que quando ele levantou, era impossível de não perceber o volume do pau duro dele debaixo do samba canção.
Depois disso, percebi que ele me olhava com um olhar diferente, mas não mudou seu jeito comigo. Eu sempre pegava meu pai mexendo em sites pornô no notebook (mas ele não me via), imagino hoje que ele estava em abstinência total de sexo.
O quarto do meu pai era uma suíte, e no seu banheiro tinha uma banheira, sempre que ele estava trabalhando eu entrava nela e adorava ficar ali. Certo dia eu estava na banheira, e meu pai chegou mais cedo neste dia. Eu estava sentada na banheira e vi que a porta do banheiro bateu, meu pai não me viu ainda por causa da cortina, ouvi que ele estava tirando sua roupa e de repente ele abre a cortina. A banheira tinha um pouco de espuma e não mostrou minha parte debaixo, mas os meus peitos que estavam com os bicos durinhos, ficaram a amostra. Meu pai me olhou com os olhos arregalados, o seu pau foi levantando e quando isso aconteceu ele virou de costas e fechou a cortina. Mas foi o suficiente p ver, ele tinha uns pelos na virilha, o pau era grande e cabeçudo, e ele era sacudo.
Pai: carol, num tem problema você usar a banheira não, mas tranca a porta quando você usar ta bom?
Eu: ta bom papai, é que eu não sabia que você ia chegar agora.
Quando anoiteceu, a gente estava na sala e eu despedi dele p ir dormir.
Pai: o carol, você num quer dormir comigo não, eu to me sentindo tão sozinho.
Então eu fui deitar com ele, depois de conversar um pouco na cama fomos dormir, ele me agarrou de conchinha, o pau dele estava super duro.
No outro dia, fui novamente dormir com ele. Ele estava encostado na cabeceira da cama sem camisa e de perna aberta e eu na ponta da cama.
Pai: carol vem cá.
E fui e deitei de bruço com as duas mãos no queixo entre as pernas dele que estavam abertas.
Eu: o que papai?
Pai: é que eu to precisando de uma mãozinha sua, a tereza foi embora… e homens têm necessidades que tem que ser satisfeitas, você ajuda seu pai?
Eu: mas o que é?
Pai: na verdade não é uma mãozinha, eu to precisando é de uma boquinha.
ele estava com seu samba canção e sem cueca por baixo, puxou seu pau por um lado do samba canção e deixou ele cara a cara comigo.
Pai: então filhinha eu quero que você chupa o pau do pai, p me dar uma aliviada.
E não deu outra, meio sem graça cai de boca no pau dele. Fazia da melhor forma p agradar ele, chupava, passava a língua, deixava ele bem molhadinho…tentava engulir tudo e engasgava….tentava de novo e dava ancia… E aos poucos fui conseguindo engolir tudo.
Pai: isso filhinha, mama o papai… Eu vou esporrar todo meu tesão nessa boquinha sua.
Daí eu comecei a chupar as bolas dele, os olhos dele até reviravam de prazer.
Pai: ta vendo meu saco como ta cheio de leite bebe?
Afirmei com a cabeça.
Pai: então, eu vou esvaziar ele todinho na sua boca, e você vai tomar até a última gota.
Então continuei mamando, e mamava se parar, até que ele forçou minha cabeça contra o pau dele fazendo com que eu engolisse o pau dele todinho. O pau dele estava na minha garganta, meu lábio superior encostado na sua virilha, e minha língua nas bolas dele. Foi tudo muito rápido, e ele começou a gozar na minha boca, eu engasguei, mas enquanto ele não acabou de gozar e não soltou minha cabeça.
Quando ele acabou, tirou o pau e minha boca ainda vazou um pouco de porra, então ele veio e passou a cabeça do pau jogando a porra que estava vazando dentro da minha boca.
Pai: tem que ser até a última gota.
Depois me levantei e fui me lavar, logo depois ele foi no banheiro, e fomos dormir.
No dia seguinte eu estava arrumando casa e um dos meus irmãos chegou com suas coisas, ele me cumprimentou mas me evitava. Quando meu pai chegou, vi que os dois conversaram e meu irmão, contou como a Tereza estava (muito abalada) e colocaram o assunto em dia.
Acho que na verdade ele voltou só p ficar de olho em meu pai. Eu ainda não sabia mas os dois irmãos eram gays. Eu estava no quarto do outro irmão que ainda não tinha voltado. Desse dia em diante meu pai não me chamou p dormir com ele, e me tratava naturalmente.
Próximo conto: primeiro orgasmo com o papai.