O Senhor pescador me estuprou



Click to this video!

Hoje tenho 22 anos, sou moreno, baixinho, mas muito bonito, sempre tive uma tendencia para gostar de homens desde mais novo. Essa história aconteceu a muitos anos atras, eu e minha família fomos pescar em uma fazenda que era de uns amigos do meu pai. Chegando lá ficamos durante toda manha na casa da fazenda e depois do almoço meus pais decidiram ir pescar, confesso que não estava muito animado com a ideia, mas eu não tinha escolha.
Chegando lá fomos alugar um barco para passear pela lagoa, foi ai que conheci Antônio, devia ter uns 48 anos, 1,80 de altura e não era nem muito gordo e nem magro, de boa aparência, mas com cara de mal e muito sem educação com todos, cabelos grisalhos, e usa uma camisa aberta no peito mostrando seu peito peludo, bermuda mostrando o pacote, sandália e um relógio e corrente de ouro, nunca tinha até entaum atração por esse tipo de homem, por isso a principio não dei muita importância, depois de um tempo meu pai quis parar em um local para pescar, em terra firme, minha mãe concordou com a ideia e disse que eu poderia ficar no barco se quisesse passear mais, a principio achei que Antônio havia ficado furioso com essa história, mas não dei importância. Quando saímos eu aproveitei para tirar a calça, eu estava usando um xortinho pequeno pra tomar banho de lagoa e resolvi tomar um sol, meu xorte era vermelho bem desbotado, quase rosa. Quando tomava sol notei algumas olhadas de rabo de olho do Antônio, e percebi que ele dava umas patoladas em seu volume, dava pra ver que estava meia bomba, e era enorme sua mala, mas continuei deitado. Der repente Antônio me chama:
– Menino venha cá
Prontamente atendi seu chamado, cheguei lá ele perguntou:
– Quer aprender a guia esse barco
Fiz sinal de positivo com a cabeça. Ae ele chegou por traz de mim e pois minhas maozinhas no manche, e colou seu corpo atras do meu, na hora pude sentir seu calor, notei que seu cacete estava duro, pois ele roçava na minha bundinha que era coberto por esse xorte super fino, comecei a sentir os pêlos do peito de Antônio passar por minha nuca, ele pois suas maos por cima das minhas e disse:
– Um muleke você tem as maozinhas muito macias, até parece mão de menina mulher. E fez um: – Hummm. Sussurando perto do meu ouvido. Cada vez ele foi falando mais perto do meu ouvido e pondo a mao apoiada por todo meu corpo, até repousar sua mao grande e grossa sobre minha bunda, recobria toda ela, foi ae que comecei a sentir tesão daquela situação. Devagarinho ele foi pondo a mão dentro do meu xorte, e eu prontamente perguntei:
– O que você está fazendo. Com a voz tremula e baixa
E ele na hora fez:
– Xiiiiii. mandando eu calar a boca
E disse:
– Se falar alguma coisa pro seu pai eu te mato.
Ae fiz sinal de positivo com a cabeça, concordando com aquela situação.
Ae ele disse?
– Issu mesmo, tem que me obedecer caladinho, agora sou o seu macho e vou te enrabar igual seu pai faz com a puta da sua mãe.
Estava com tanto tesão na hora que nem me senti ofendido. Ele tirou meu xortinho e lambeu seu dedão, e começou a forçalo contra meu cuzinho. Parecia uma vara de tao grosso era aquele dedo, mas depois de muito lubrificar ele entrou, e Antonio ficou fazendo movimentos de vai e vem. Derepente ele me vira com a maior brutalidade pega minha cabeça com as duas mão e força contra seu pau ainda guardado no xorte, eu dou algumas mordidinhas ae ele ri e disse:
– Você é um viadinho né? Hoje você vai vira uma mulherzinha.
Nisso ele tirou aquela rola enorme, devia ter uns 23cm, nunca vi coisa igual, sua cabeça era enorme e bem vermelha, e ele era curvo para cima, eu não dava conta de por tudo na boca. E ele forçava ela na minha garganta, e com a outra mão torando meu cuzinho com o dedo. Quando eu já estava bem larguinho ele me pegou e me pois no colo dele, e foi forçando de vagarinho me pegando pela cintura e massageando meu peitinho, ae eu relaxei mais, quando entrou a cabeça ele me forçou pra baixo sem dó. E depois disse:
– Gostou benzinho, viu como seu macho é metedor?
E eu só concordava com a cabeça. E ele me bombou comigo sentado, depois me pegou pelo braço me pois em pé e meteu sua rola em mim comigo erguido em seus braços. Logo após me pois deitadinho de franguinho assado em cima da mesa, foi a hora melhor porque vi a felicidade dele em me disvirginar, ae ele tirou rapidamente e falou pra mim cair de boca no pauzao, quando menos esperei ele solta um jato de porra quente que preenche toda minha boca e disse:
– Issu putinha bebe toda minha gala, nao deixe sobrar uma gota nessa vara, você gosta de beber leite né sua bixinha, leite de macho.
Ae depois ele pois meu xorte e me olhou com cara de bravo e falou:
– Se falar um piu tu tá morto viadinho
Me apaixonei por aquela metida, até hoje não tive a oportunidade de voltar lá, mas quando tiver vou procurar o Antônio, pra mostrar pra ele o que eu já aprendi.
Se você gostou da minha experiencia entre em contato, e se for o Antônio, oque eu duvido que ele entre nessas coisas de internet mas se for, por favor entre em contato comigo, estou com vontade de repetir a dose.