Comecei ainda na infância… e não me arrependo de nada !!



Click to this video!

Hoje resolvi falar da minha vida para vocês.
Sou viciada em sexo, e desde que me conheço por gente o sexo me acompanha.
Ainda novinha creio que 5 ou 6 anos eu já brincava com meus irmãos de criação.
Não conheci meus pais. Minha mãe me abandonou e me deixou com uma tia. Não sei nem se ela está viva.
Minha tinha sempre me tratou com brutalidade. Os filhos dela aprontavam, e eu apanhava. Vivia roxa e abandonada.
Com uns 5 anos eu já chupava o pinto dos meninos da casa. Eles mandavam e eu fazia. Não me recordo se gostava ou não. Apenas chupava. Tinha um menino que já tinha 15 anos (hoje sei, pois ele é 10 anos mais velho que eu), ele gozava na minha boca todos os dias.
Os outros eram menores.
Eles tentavam meter em mim, mas não cabia e eu reclamava, cho9rava e corria pelada para fugir.
Quando entrei na escola, nós íamos em um grupo de várias crianças. Lembro que logo fiz amizade com uma menina um pouco mais velha que eu. Ela devia ter 9 anos e eu 7.
Certo dia na porta da escola, ela me pediu para esperar que queria me dar uma coisa. Meus irmãos entraram na escola e eu fiquei do lado de fora. Esta coleguinha me deu um saquinho de doces. Mal pude acreditar, eu nunca ganhava nada. Fiquei contente pois agora tinha uma amiga de verdade.
Na saída da escola, voltando para casa, esta menina me disse que aqueles doces eram presentes de um amigo dela, e que ele queria me dar mais doces. E que no dia seguinte ele estaria lá na porta da esccola.
No dia seguinte seguimos até a escola e novamente esperei os meninos entrarem. Minha amiga me chamou. Ela me levou até um carro que estava na esquina.
Lá tinha um homem. Logo ela entrou e me chamou para entrar também. Fiquei com medo, mas ela me disse que iria ser legal e eu ia ganhar doces.
Entrei e aquele homem me colocou sentada no colo dele. Muito carinhoso ele me deu doces. Fez carinho e me deixou contente. Ele estava me tratando como nunca alguém tinha feito.
Ele me convidou para ir com minha coleguinha na casa dele. Eu disse que tinha que entrar na escola. Quando ele mostrou que o portão já estava fechado.
Não tive outra saída a não ser ir na casa dele..
Lá chegando, vi que a casa era bonita, tinha tudo limpo e arrumado.
Minha amiga logo me mostrou a casa, onde eram os quartos, sala, cozinha e banheiro.
Sem falar nada ela me chamou para tomar banho. Achei estranho, mas ela tirou a roupa e ligou o chuveiro. Alertei que a porta estava aberta, e quis fechar mas ela disse que o Marcos iria entrar. Coisa que logo aconteceu. Ele já chegou beijando ela na boca e fazendo carinhos. Eu estava assustada e sem saber o que fazer. Ele me pegou pela mão e foi tirando minha roupa. Quando vi já estava nua. Entrei debaixo d’água, com vergonha mas seguindo o que minha amiga indicava.
Logo ele entrou também, pude ver seu pinto. Já tinha visto dos meus irmãos, mas o do Tio era maior.
Minha amiga se abaixou e começou a chupá-lo. Eu já sabia o que era aquilo e confesso que gostei de ver ela chupando. De certa forma eu não sabia se era certo ou errado, agora estava achando certo pois eles faziam o mesmo que eu fazia com os meninos.
O Tio Marcos (como eu o chamava), me pediu para chupar o pau dele. Tomei coragem e fiz igual minha amiga. Logo ele gozou na minha boca.
Depois ele sentou no chão e começou a chupar nós duas. Ficamos assim algum tempo, até que ele nos secou e nos levou para o quarto.
Ele nos colocou na casa e logo começou a meter na bocetinha da minha amiga. Fiquei olhando e vi que entrou tudo. Ele socava forte e ela mal se mexia. Depois ele saiu de cima dela e disse: Agora você !!
Não tive medo, apenas fiquei esperando para ver se ia ser bom. Ele me beijou na boca (isto tive nojo), e depois ele beijou meu corpo todo. Não tinha seios ou pelos, tinha entre 7 e 8 anos apenas. Ele passou um negócio gelado, e depois colocou um objeto (não sei se uma caneta ou lápis), mas era fino e comprido. Não doeu nada, e eu até gostei da sensação de cócegas que fazia. Logo ele com força colocou um dedo… aí sim começou a doer.
Pedi para parar, mas ele nem ouviu. Quando ele tirou o dedo, eu senti um alivio, achei que tinha acabado. Que nada, estava apenas começando. Ele colocou a cabeça do pinto, bem no buraquinho e meteu sem dó. GRITEI, GEMI E ACHEI QUE IA MORRER.
Entrou tudo de uma vez. Ele ficou pouco tempo cravado na minha boceta e logo saiu de cima. Eu mal me mexia. Tudo doía. Comecei a chorar, queria sair correndo, mas não tinha forças nem para levantar.
Ele ficou do meu lado me limpando e pedindo desculpas. Eu queria ir embora logo, fugir dali.
Minha amiga foi na cozinha e trouxe um suco. Eu não conseguia sentar na cama para beber o suco. Ele me cobriu e se deitou do meu lado.
Acabei dormindo. Não sei quanto tempo.
Quando acordei, minha amiga já tinha ido embora. Fiquei com vergonha daquele homem ali, que eu só sabia o nome. Na verdade eu nem sabia onde estava, onde ficava aquela casa.
Ele me pegou no colo e me levou no banheiro. Me deu um banho e coloquei minha roupa.

Ganhei doces e dinheiro.
Ele me levou até perto da minha casa. Tive dificuldades para andar, minha boceta ardia.
Cheguei em casa com medo da minha tia, mas ela nem percebeu quando eu cheguei.
Minha colega contou para meus irmãos, e dias depois eles contaram para minha tia.
Ela me chamou de vagabunda, puta, piranha e disse que eu era igual minha mãe.
Os meninos logo queriam me comer, eu atendia todos eles. Por várias vezes vinham colegas deles.
Isto durou muito tempo, eu já dava com prazer, e sempre pedia alguma coisa. Qualquer coisa servia. Uma bala, ou bolacha, chiclete… transava até para ganhar figurinhas.
Com 9 para 10 anos, minha tia me disse que eu iria morar em outra casa. Ela disse que já estava cansada de mim. Ela não queira mais uma vagabunda na casa dela.
Ela me levou para uma casa grande, e mandou eu obedecer aquela mulher que ali morava.
Achei a casa linha. A mulher era velha, perfumada e logo me agradou. Ela disse para minha tia, algo como “Muito bom, esta putinha já vai ganhar dinheiro hoje mesmo”.
Minha tia me pediu para nunca mais voltar, eu chorei muito… e vi ela partir.
Esta senhora me disse que se chamava ODILA, e que se eu fosse boazinha iria ser muito feliz ali.
Ela me mostrou um dos muitos quartos que tinha na casa. Disse que seria o meu. Eu já não era bobinha, sabia que ali ela o que chamavam de zona. A decoração da casa era toda vermelho e preto. Meu quarto tinha cama grande.
A Odila me deu um banho, examinou minha bocetinha (chegou a colocar o dedo) e disse: Tão pequena e já arrombada.
Ela me deu uma roupa, que era uma mini saia, calcinha e top. Ela me maquiou e mandou eu esperar no quarto que logo iria vir o primeiro homem do dia.
Logo entrou um gordo e careca. Ele me abraçava e beijava meu corpo. Quando vi o pinto dele eu comecei a rir. Até os meninos de 12 anos que metiam em mim, tinham um pau maior.
Ele ficou bravo, e me deu um tapa. Cai na cama e logo ele subiu em cima de mim. Sentia apenas o peso dela sobre meu corpo. Ficou pouco tempo e gozou.
Deixou dinheiro e saiu.
Logo a Odila entrou no quarto e perguntou como foi. Eu dei risada, disse que o gordo tinha um pintinho menor que criança. Ela me deu uma bronca. E mostrou um bolo de dinheiro que eu nunca tinha visto tantas notas juntas.
A Odila me disse que ele iria voltar, e que da próxima vez eu tinha que atender com vontade, ser carinhos. Subir sobre ele, chupar, fazer carinho e ganhar o amor dele. Logo a Odila me pediu para tomar um banho pois tinha mais 3 homens naquela noite.
O Segundo tinha um pau maior, e eu fiz como a Odila disse. Subi sobre ele e cavalguei como uma puta faz.
E assim os anos foram passando. Tinha dia que eu atendia até 10 homens.
A Odila me ensinou a mentir a idade,. Fiz 10, e dizia para os homens que perguntavam minha idade, que eu tinha 8. Fiquei sabendo que aqueles homens gostavam de meninas novinhas.
Sempre dizia para os clientes irem com calma, que estava doendo muito e que eles tinham um pau grande. Até o gordo eu passei a agradar.
Ganhei muito dinheiro, a Odila foi correta comigo. Guardava minha parte em uma conta no banco. Quando meus seios começaram a crescer, os valores começaram a abaixar.
Fiquei mocinha com apenas 10 anos.
Tinha que tomar anticoncepcional todos os dias.
Exigia o uso de camisinha.
Fiz programa até a Odila falecer. Nesta época eu tinha 19 anos.
Consegui com um cliente que era advogado, ficar com a casa e com a conta no banco.
Tinha uma fortuna.
Um cliente e amigo, que trabalha num banco me orientou a como aplicar e investir.
Comprei apartamentos para alugar, hoje tenho 6 aptos. Que geram uma boa renda.
Nunca procurei minha família.
Sei que esta tia ainda mora na mesma casa, em um bairro da Zona oeste de SP.
Mas não quero vê-la, pelo menos por enquanto.
O chato de tudo isto, é que hoje estou com aparência de muito mais velha.
Tenho 27, mas aparento 45.
Outra coisa que me incomoda, é que não sei se pelo fato de ter começado cedo, ainda criancinha, sinto um enorme tesão por ver meninas igual eu era transando. Adoro ver suas bocetinhas invadidas por cacetes enormes. Tenho orgasmos vendo vídeos, onde os caras gozam nas bocetinhas, cuzinhos ou nas carinhas.
Dá um tesão enorme. Eu ainda vou virar um Odila da vida. Só para oferecer carne nova para quem tem bom gosto. Minha tia que me espere, sei que ela tem netinhas…